sexta-feira, 13 de julho de 2018

Suspeitos de envolvimento em assassinato de cabo da PM na Santa Cruz morrem em confronto com policiais

Com os suspeitos, polícia apreendeu duas armas (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)

Mais dois suspeitos de envolvimento no assassinato do cabo da Polícia Militar Gustavo Gonzaga da Silva, ocorrida em 8 de junho, no bairro da Santa Cruz, em Salvador, morreram em confronto com policiais na manhã desta quinta-feira (12).

'Perdemos um guerreiro', diz colega de PM torturado e morto no bairro de Santa Cruz
A troca de tiros ocorreu na localidade de Jauá, em Camaçari, região metropolitana de Salvador, durante uma operação conjunta entre as Polícias Civil e Militar, integrada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Coordenação de Operações Especiais (COE) e guarnições da PM.



Eles foram socorridos para um hospital da região, mas não resistiram aos ferimentos. Com eles, segundo a Polícia Civil, foram apreendidas duas pistolas calibres 380 e ponto 40, 13 munições de calibres ponto 40 e 380, além de dois aparelhos celulares, uma quantia em dinheiro de R$ 50 e um relógio.

Conforme a polícia, a ação foi feita para o cumprimento de mandado de prisão preventiva por diversos homicídios atribuídos a Pablo Azevedo Vieira dos Santos, o “Marão”, e Mateus Rafael Passos Gomes dos Santos, o “Friza”, que estavam escondidos dentro de um imóvel, no bairro de Jauá.

Segundo a Polícia Civil, também participaram da morte do PM, Willian dos Santos Santana, o "Chokito", Cleber Costa Soares, o “Keka”, e Emerson dos Santos, o “Leno”, que são procurados pela polícia. Nos primeiros dias após a morte do policial na Santa Cruz, ao menos 4 suspeitos morreram em confronto com a polícia na regiçao e seis foram presos.

A polícia informou, ainda, que Pablo e Mateus, mortos na ação desta quinta, também são autores do triplo homicídio de seguranças que trabalhavam no ensaio da banda Harmonia do Samba, em fevereiro de 2017. As vítimas foram identificadas como Derivaldo Rocha dos Santos, Geraldo Mota Cunha e Márcio Rogério Bandeira.


Um outro suspeito de participar do crime foi preso em março deste ano e chegou a oferecer suborno a policiais para não ser levado para a cadeia.

Ainda conforme as investigações do DHPP, Pablo e Mateus são responsáveis também pelas mortes de Jair do Nascimento Santos, Iuri Lopes Souza, Maílson Santos da Costa, Valter José de Freitas, Antônio Carlos Batista, Valter José de Freitas, Israel de Oliveira Celestino e Gilmar Maia Costa, ocorridas entre 2017 e 2018, também na região do Nordeste de Amaralina, onde fica a Santa Cruz.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário