sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Justiça Federal ordena que Prisco se recolha às 18h e se afaste imediatamente da Aspra; deputado dis que vai recorrer


Justiça Federal ordena que Prisco se recolha às 18h e se afaste imediatamente da Aspra; deputado avisa que vai recorrer

A justiça Federal determinou que o deputado estadual Marco Prisco (PSDB) se recolha às 18h e se afaste da diretoria da ASPRA (Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia). Em entrevista ao repórter Joselito Froes emitida pela rádio Recôncavo FM de Santo Antônio de Jesus nesta quinta-feira (29), o deputado estadual disse que essa decisão federal é um absurdo, “não tem nenhuma lógica ou fundamento essa decisão, em pleno século 21, não tem nenhum cabimento isso. Apenas porque nos cobramos àquilo que é direito de qualquer entidade ou de qualquer parlamentar cobrar do governo, fazer uma manifestação, uma assembleia e não causar nenhum dano a ninguém, simplesmente o governo não cumpre e aí vem à prática da ditadura estatal”, disse. Questionado se ele se sente perseguido depois de ter abraçado a causa dos policiais na Bahia, Prisco afirmou dizendo que é devido a uma sequência de fatos que vem acontecendo por ser um político honesto e defende uma categoria, “toda Bahia tem acompanhado essa perseguição absurda, defender uma causa e a população, o governo nada faz e não vejo nenhum empenho do poder judiciário em fiscalizar o governo, mas infelizmente há essa perseguição que é claramente política”, pronunciou. Segundo o deputado, como a decisão ocorreu por um desembargador convocado por conta do recesso, é necessário aguardar para ter acesso ao processo para recorrer a essa decisão, “tivemos uma reunião com todo o corpo jurídico ontem, teremos outro para colher maiores informações e buscar o acesso ao processo. Enquanto isso estarei cumprindo a decisão como foi determinado, o que é um verdadeiro absurdo, pois impede o deputado estadual a exercer o seu papel como parlamentar, mas a luta pela categoria continua”, concluiu. 

Voz da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário