.

BANNER INTERIOR 728X90 01 DINAMICO ANIM
JACOBINA: MOSQUITOS DA DENGUE GENETICAMENTE MODIFICADOS COMEÇARÃO A SER SOLTOS NA CIDADE


Durante a edição de hoje do Clínica geral da Rádio Clube Rio do Ouro, uma importante informação foi trazida aos moradores da cidade. Segundo Bárbara Vilas Boas, coordenadora de vigilância e saúde do município, começarão em breve na cidade a soltura dos mosquitos da dengue geneticamente modificado, como estratégia de combate ao mosquito da dengue. 

Segundo Bárbara, os mosquitos virão da cidade de Juazeiro em forma de larvas, e eclodirão aqui em Jacobina em um laboratório montado nas dependências da Escola Agrícola. O projeto prevê quatro liberações por mês onde serão soltos de de 2 a 12.000 mosquito por hectare, em um período de 24 meses. Neste período de realização do projeto serão realizadas avaliações constantes para acompanhamento dos resultados. Este é um projeto inovador desenvolvido pela empresa MOSCAMED, resultado de parceria entre o Min. da Saúde, Secretaria estadual e Municipal de Saúde, com investimentos na ordem de 1,7 milhões. 

Barbara explica também que a população pode ficar tranquila pois a espécie de mosquito que será solta na cidade não trará nenhum tipo de incômodo, O mosquito transgênico é uma nova espécie  alterada geneticamente que não permite que o mosquito que transmite a dengue se multiplique. Os mosquitos desenvolvidos em laboratório são machos e inofensivos, pois eles não picam. Eles se acasalam com as fêmeas da espécie, esta sim,  perigosa, mas dos ovos só nascem mosquitos machos e como somente as fêmeas picam o ser humano e transmitem a dengue, não havendo fêmeas, não há picadas, sem picadas a dengue não se prolifera. Outro detalhem importante também é que como só nascem machos do acasalamento, também não haverá mosquitos desta espécie em breve, uma vez que machos sozinhos não conseguem se multiplicar.

A intenção dos cientistas é que a espécie Aedes aegypti, o mosquito da dengue, seja extinto muito em breve juntamente com a doença que esses mosquitos transmitem . O projeto que está sendo realizado em Jacobina já obteve excelentes resultados em fase experimental em Juazeiro, em  projeto piloto realizado entre 2011 e 2012 em dois bairros da cidade– Mandacaru e Itaberaba –, ambos com cerca de 3 mil habitantes, e alto índice de proliferação do mosquito. Com o emprego desta técnica, houve redução de 90% população do mosquito em seis meses nestes distritos.

Da redação

Um comentário: